O Blog da Bethânia/A resposta de Caetano/"Bravos!" à censura!

O Blog da Bethânia/A resposta de Caetano/"Bravos!" à censura!

Caetano Veloso, hoje (28/03/11) no O Globo, atacou veementemente aqueles que criticaram o fato de Bethânia ter recebido autorização para captar recursos no mercado para produzir um blog de poesia.

Disse que ela utilizou um benefício legal e se mostrou contrariado pelo fato de ninguém ter falado nada quando outras pessoas notórias receberam também a tal autorização do Ministério da Cultura.

Teceu duras críticas a aquelas pessoas que utilizaram as redes sociais para debocharem de sua irmã.

Pediu a intervenção da Polícia Federal, ABIN e Ministério Público quanto às ameaças que o governo recebeu nas redes sociais.

Defendeu o governo e sua irmã com muita veemência.

Disse que:

"No audiovisual há muitos outros que foram liberados para captar mais."

Entretanto, em nenhum momento, nada falou a respeito da censura política aos intelectuais brasileiros, com a compra e venda das formas de expressão do pensamento.

Também não disse que é sabedor que tais recursos na verdade são impostos não recolhidos.

Ignorou solenemente o fato de que o pensamento está sendo comprado e vendido no Brasil com muita alegria, muitas palmas e gritos histéricos de "bravo!", "bravo!" 

No meu anonimato, não tenho naturalmente o talento e reconhecimento público dele,  postei comentário naquele texto, dizendo que a  autorização do Ministério da Cultura foi para captar recursos no mercado.

Disse a ele, como aqui consta, que os doadores, ou investidores descontam os valores de impostos a recolher.

Assim, os recursos deixam de entrar no caixa do governo.

Os que criticaram Bethania que é, assim como ele, maravilhosa na sua arte, deveriam criticar a lei, não quem dela se utiliza. O errado é essa política de incentivo à cultura que asfixia a intelectualidade.

A expressão política do pensamento é censurada em razão do tal incentivo, fica tolhida.

Vejam a questão do vale-cultura: o trabalhador receberá do empregador, que descontará do Imposto de Renda, um vale de R$50,00 para adquirir jornais, revistas, CDs, etc., mas só poderá comprar as obras credenciadas, através de convênio, com o "selo" verde do governo.

Vale dizer, as obras que forem simpáticas às políticas governamentais, serão credenciadas.

Dessa forma, a oposição política dos intelectuais brasileiros deixa de existir, por uma questão de sobrevivência.

Na questão da Lei Rouanet, seja na autorização, seja na aprovação da prestação de contas do beneficiado, há, à toda evidência, o elemento do critério político condicionante, semelhante ao do vale-cultura.

Não se critica (mas acabo criticando todos) quem se utiliza do incentivo cultural, mas quem o criou e o aprovou.

Critica-se também a atual oposição política brasileira - inexistente - que permite a compra e venda da expressão política do pensamento.

Não há qualquer ilegalidade, mas na criação legal há moral discutível, muito discutível!

No pedido e no recebimento há o reconhecimento da venda do seu pensamento.

Há aceitação da censura.

Disse também Caetano na sua veemência:

"Por que, dentre todos os nossos colegas (autorizados ou não a captar o que quer que seja), ninguém levanta a voz para defendê-la veementemente? Não há coragem? Não há capacidade de indignação? Será que no Brasil só há arremedo de indignação udenista?"

Digo eu: Não poderia ser vergonha pelo reconhecimento de terem vendido suas almas ao diabo?

Onde está a intelectualidade brasileira que não se manifestou, com raríssimas e honrosas exceções, em face do descalabro dos subornos, corrupção e dos escândalos políticos do últimos anos?

Caladinha! caladinha!

Caetano Veloso e Maria Bethânia são dois talentos maravilhosos da cultura brasileira.

No meu anonimato, como disse lá no início, eu os aplaudo, mas não posso deixar de criticar uma lei, estou convencido disso, que compra o pensamento das pessoas.

Como também posso criticar aqueles que sabem que estão sendo censurados e concordam com isso porque tenho o meu pensamento livre.

Mas existem justificativas compreensíveis!

Não são aperfeiçoadas as normas relativas ao direitos autorais no Brasil porque não há interesse político na questão, no sentido de melhor remunerar a produção de obras, estabelecendo um contrôle eficaz e transparente para o autor, compositor, intérprete... 

O controle das vendas dessas obras não existe para a grande maioria dos autores dessas formas de expressão.

Só os produtores/editores/distribuidores dominam o controle.

Nos tempos da ditadura, expressa e alardeada, nós tinhamos a censura dura, severa. Muito se produzia para que alguma coisa escapasse dela.

Hoje nós temos a censura camuflada, remunerada, risonha, alegre - bravos! bravos!

O intelectual brasileiro é obrigado a muito produzir para conseguir renda razoável, pois a remuneração pelas vias normais é ridícula.

Vale então ser amigo do sistema, do político, receber incentivo e... vender seu pensamento.

Esses incentivos recebidos são condicionados à prestação de contas... que, desde o requerimento, naturalmente - ninguém é de ferro! -  tem uma aprovação recheada de... política!

http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2011/03/27/caetano-veloso-sai-em-defesa-de-maria-bethania-na-polemica-sobre-blog-924098835.asp

E você, o que acha?

Dê sua opinião!  

 

 

Comments 

 
0 #1 Xico Branco 2011-03-28 22:35
acho que para os simples mortais, nada! Eu continuo desejando que algum filho de Deus um dia me ajude lançar um livro, dos mts que tenho engavetados...pobres de nós!
Quote
 

Add comment


Security code
Refresh