Ronaldinho Gaúcho, Tiago Neves e Didi - A atitude do craque!

Ronaldinho Gaúcho, Tiago Neves e Didi – A atitude do craque!

Deixei passar, mais ou menos, dois dias do fantástico jogo de futebol que Santos e Flamengo fizeram na Vila Belmiro, quarta-feira – dia 27/07/11 - para que pudesse fazer alguns comentários com alguma isenção de ânimo.

Hoje, sexta-feira, nada mudou!

Adiantou... nada!

Continuo sonado, entorpecido, embriagado... Sim!... as imagens teimam em permanecer no meu cérebro... imagino que assim era uma “viagem” de LSD, tantas vezes referida pelo mundo hippie que, diz a lenda, resvalou na música dos Beatles, com Lucy in the Sky with Diamonds...

Lindo Sonho Delirante... Foi isso!... deve ter sido um sonho, alucinação, hipnotismo puro!

Quando o Santos fez o primeiro, eu pensei...

– Vai dar para buscar...

Fez o segundo...

–Tá complicando!...

No terceiro... olhei para o tempo de jogo... faltavam ainda uns vinte minutos para o término do primeiro tempo...

– Se vacilar vai pintar uma goleada!... mas o Fla tem que reagir ainda nessa etapa!

Quando Ronaldinho Gaúcho fez o primeiro, colocou a bola debaixo do braço, caminhou para o centro do campo e fez um sinal com a cabeça para alguém, como a dizer:

- Porra!... Fácil!... Estão vacilando! Tem que fazer certo! Vamos partir prá cima!...

Eu, imediatamente, me lembrei da imagem de Didi, na final da copa de 58, quando a Suécia fez um a zero.

Ele pegou a bola no fundo da rede brasileira, colocou embaixo do braço e disse para o time, segundo o folclore:

- Vamos encher os “gringos” de gols!

Tiago Neves teve a mesma atitude que Ronaldinho, por ocasião do segundo gol do Fla.

Ambos caminharam, semblantes sérios, sem festa, com a bola até o centro do campo.

Uns parênteses:

(Renato Maurício Prado fez menção a esse fato na coluna do Globo, mas eu, como milhares de outras pessoas, também pensei nisso.)

(Quem acompanha a formação desse time rubro-negro sabe do potencial e determinação dos jogadores. Sabe que são jogadores de muita qualidade e muito profissionais. Sabe que Luxemburgo tem nas mãos um timaço.)

(Não tive medo... Mas pintou um frio na barriga... todo o jogo do Santos em cima do Neymar que, por sua vez, jogava nas costas do Leo Moura e do lado do Wellington...)

(Wellington merece uma matéria especial, joga bem, vacila também, mas tem lá suas desculpas... desde que entrou no time que os adversários fazem as jogadas pelo seu setor: primeiro, porque ele era o mais jovem da zaga; depois, porque a imprensa toda deu/da muita ênfase às suas falhas... os adversários vão todos prá cima dele. Quando um setor é sobrecarregado pelo ataque adversário a tendência é que ocorram falhas. Como ele, ainda, é jovem...)

Fiquei na expectativa e com grande esperança, pois o Flamengo estava com mais posse de bola e porque, pelo lado esquerdo da defesa do Santos, havia uma auto-estrada magnífica. Luiz Antonio e Leo Moura haviam encontrado o caminho das pedras.

O meio-campo do Santos estava perdendo a disputa para o do Flamengo.

Mas, meus amigos, quando vi o semblante do R10 e do Tiago Neves... disse cá com meus botões:

- Tá fudido... Santos! Defesa: Segura essa porra! Vai feder! Mengão entrou no jogo!

A demonstração de segurança de todo o time do Flamengo, depois dos três gols do Santos, eu já esperava, mas a surpresa ficou por conta das atitudes dos craques do time.

Quando um dos maiores jogadores-gênios do futebol, da história do esporte, essa que ainda está escrevendo, resolve encarar o seu time e mostrar o seu cetro (risos, desculpem, não pude resistir)... lembrando que não é considerado gênio à toa...

- O “couro come”, meus amigos!

- Boa meu alter-ego!

- Não vai falar da batidinha-de-falta-devagarinho-por-baixo-da-barreira?

- Tenho que falar, né mermo... meu irmão?

Então, olha só! Eu vi, na época, aquele gol do Ronaldinho quando ele estava no Barcelona... Vi e como milhões de outras pessoas achei fantástico. Aquela imagem ficou na minha cabeça.

Quem já foi goleiro, mesmo que peladeiro de futebol de praia, como eu, sabe que aquele momento do salto da barreira é o momento que o goleiro está “sem pai e sem mãe”... tudo pode acontecer: barreira abrir, bola desviar, jogada ensaiada e, inclusive a bola rasteira no meio da parede, por baixo do monte de pernas...

Mas, meus amigos, todo goleiro, todo batedor, sabe também que essa jogada é uma jogada de precisão porque os jogadores não sobem todos ao mesmo tempo, a bola pode bater em uma daquelas chuteiras...

Sempre torcia para o R10 bater uma falta assim... desde que chegou ao Fla!

Ele nunca o fez... até agora!

Nisso está a prova da sua genialidade e de seus infinitos recursos.

Ele sabe o momento certo... em qual jogo, do jogo e de fazer a jogada.

Com um gol feito dessa forma o gênio aniquila o ânimo do adversário... mata os caras!... e eleva o moral da sua tropa.

Todos exclamam em campo, inclusive os adversários, na arquibancada, nas TVs, nas rádios, em casa e no botequim:

- Puta que pariu!... O cara é gênio!

Vocês viram a cara do Muricy quando a barreira estava sendo formada? Cara de quem estava com alguma coisa na mão?

A preocupação estampada no rosto! Aliás, preocupação para uns, esperança para outros!

Vocês viram a atitude sensacional do Neymar e do pai dele, fãs declarados do Ronaldo?

O gol do Neymar foi fantástico?

Foi, sem qualquer dúvida, mas outros já fizeram coisa semelhante!

Quantas pessoas você conhece que fizeram um gol como o feito por esse fantástico jogador do Flamengo?

Ronaldinho Gaúcho... com certeza, dentre os gênios, deve ser considerado, por eles mesmos, um gênio genial!

E você, o que acha?

Dê sua opinião!

Add comment


Security code
Refresh