"O poema que penso um dia fazer ou... A musa!”

O poema que penso um dia fazer ou... A musa!

 

“Dona... vida... viver, viver, viver... a vida é linda!... vou deixar em testamento, quando tiver que te deixar (vai demorar!), para algumas pessoas, todos os meus bons pensamentos, loucas paixões e, principalmente, todos os meus amores... sim, são vários, mas, cada um deles, sabe que é único... eu os cultivo assim...”

- Depende!… meio ridículo!... Nessa linha... daqui a pouco você vai falar em paixão, inspiração... não sei de onde vai sair a poesia...alma... deuses... Você é ateu, cara! Poeta...

- Olha só! Seu Alterego chato!... Da paixão e da loucura já nasce o poema. Ateu não tem preocupação com teísmo. Ateísmo não é uma religião, não tem relação com mitologia, ateu não tem teos... Não há preocupação quanto a isso. Outra coisa!... eu não sou, mas eu me sinto um poeta.

A paixão exacerbada do amor e o sentimento tranquilo, seguro, daquele amor puro, alimenta a alma do poeta, mesmo que não seja correspondida que, aliás... a conquista, a rejeição, o desamor, a traição, o ciúme, são os combustíveis que alimentam o compositor, a paixão nutre um pouco mais que o amor suave, aquele de remanso e sono tranqüilo. Isso mexe comigo... mas eu sei quando a coisa está ridícula!

- Cara!... está muito ridícula tua situação!

- Quem falou isso?...

- Não fui eu, o Alterego... o teu “outro eu”. Isso deve ser coisa do...

- Fui eu... o Superego, o teu censor!

- Ih! Caramba!... Agora são dois!... Que você quer?

- Botar o bonde no trilho...

- Meu irmão, por essa frase já dá para ver que você é antiguinho... conservador, né não? Bonde... é coisa do século passado. Aqui no Rio só tem um, lá em Santa Thereza, mesmo assim já tem gente querendo jogá-lo lá de cima... mas fala... Coisa Velha!

- Cara! A musa, quase sempre, é muito mais nova que o autor... Tá!... bonita, bom papo!... inteligente!... mulher nova é um tesão, não simplesmente por ser nova, ter a juventude a seu favor, etc.... mas não rola... foi o que falou o Alter... ele tem razão! Não importa que você seja diferente do pessoal da tua geração e da grande maioria da geração dela... ela nem te conhece pessoalmente, ela gostou do poeta, do escritor, do gente fina, do cara que foge dos padrões, da conversa boa, aquele que, se deixar livre, mexe com o coração dela, com os hormônios... - “...maluco!” “Que horror!”- ela é a musa... a musa não se come, cara! Musa é só para dar inspiração... se quiser algo mais... Mas, cara! Tu é muito metido... se acha!

- Espera aí, Super! Não se come a musa?! A Musa Érato ou a Euterpe... da mitologia, da inspiração da criação literária, ninguém comeu? O Fauno, seria o correspondente masculino da inspiração das poetisas e escritoras... o Fauno não é aquele.... o talzinho?... Compadre, me desculpe, mas tem muita gente que não concorda contigo... e traça as musas,,,

- Esquece as titãs, ninfas e dríades... Ôh, sutil!... Não... na criação literária até ocorre isso, mas ninguém come ninguém! O universo feminino é diferente!... você sabe disso! Eu, que sou o teu Alterego, sei e você sabe!... Embora ninguém entenda a alma dessas maravilhas da natureza.

Falando nisso, deixa de ser grosso!... comer... comer... fala fazer amor, transar, ficar, qualquer outra coisa... seja mais... insinua, não precisa falar!

Não se esqueça que, se acontecer o contato íntimo, quebrará o encanto, começará a história da posse, cobranças, ciúmes, exclusividade... a tal da musa vira... “Dona Encrenca!” ou “Madame Rã!” a tal do casamento, união estável... “Ah! Eu quero um neném!...” Além do mais, será que você agüenta o tranco, o ritmo, os caprichos, a agitação da juventude da musa? Musa não é fácil!

- Aí, acabou!... Vocês – Alter e Super - estão com a razão!... como um cidadão pode querer encontrar inspiração, motivação, com alguém falando lá da porta da casa:

“- Mor!... vou encher o tanque do carro e depois vou ao supermercado... capaz de estourar o cartão. Olha! Não esquece de pagar a escola, a faculdade das crianças... e a prestação da casa... beijo!”

- Como você... seu poeta doido, maluco!... quer encontrar inspiração numa situação dessas? E a tua responsabilidade como

“Chefe de Família”? “Tome” vergonha na cara!

- Quem falou agora?

- Nós dois... Alter e Super... isso é coisa que você sabe, está no teu pensamento, na tua formação.

- Caraca!... Sei não!... O Chico Buarque encontra... vocês não viram a letra da música “Cotidiano”?

- Deixa eu responder... Super!

- Tá!... Vai!... Responde!...

- Olha só!... Seu doido!... Você prestou atenção na letra? Chico fala:

Todo dia ela faz tudo sempre igual:
Me sacode às seis horas da manhã,
Me sorri um sorriso pontual
E me beija...

... Com a boca de hortelã.

... Com a boca de café,

... Com a boca de feijão

... Com a boca de paixão

... Com a boca de pavor”

 

Mas qual é a angústia dele?

 

“Todo dia eu só penso em poder parar;

Meio-dia eu só penso em dizer não,

Depois penso na vida pra levar

E me calo com a boca de feijão.”

Viu? Você vai cair nessa rotina... se vier a comer a musa... quer dizer... se fizer amor com ela, se ficar, se tiver um contato físico mais íntimo...

- Que merda... hein? Quer dizer que musa é... musa? Só serve para fazer o poeta sofrer, iludir sua alma, se angustiar com a possibilidade de ser traído, ficar frente a frente com o desamor e criar encrenca com a “Dona Encrenca”?

-Também não é assim... essa é a nossa opinião... Preste muita atenção... seu insano: A musa vai te dar inspiração para produzir obras magníficas, vai te dar motivação na vida, como já deu para milhões de poetas, escritores, músicos, inúmeros outros profissionais e amadores na hora da expressão do pensamento... como acontece com a mulher amiga, parceira de fé, companheira, que te inspira, incentiva em outras situações...

- Sim, têm razão... me dará inspiração... mas dar, que é bom... dar mesmo... não vai dar!

- Você é doido... seu doido! Só pensa nessas coisas...

- Quem está falando?

- Qualquer um... está no final do texto...

- Nem “beijim”?

- Áaara!... E o "O poema que penso um dia fazer", você não vai continuar com o tema?

- Ah!... Vai depender da musa!

E você, o que acha?

Dê sua opinião!

 

Comments 

 
0 #5 Jéssica Vieira 2011-12-02 04:17
Intenso e divertido! Não encontro mais palavras que definam o que senti lendo isso. Só senti e pronto!
Quote
 
 
0 #4 Realidade 2011-10-25 19:19
Não se deixe levar pelos comentários e encare a razão dos fatos.A vida racional é a única existente.
Quote
 
 
0 #3 Vany Laubé 2011-08-17 12:53
Mto boooom :)

@maismosaico
Quote
 
 
0 #2 Katharina Barros 2011-08-11 18:09
Um escrito loucamente transcedental.
Quote
 
 
+2 #1 Manuela 2011-08-11 15:43
Belíssimo retrato. Palavras, a magia que coloca nas suas palavras (ou serão elas, as palavras, que fazem de si um mágico?), pese embora a capa de crueldade e frieza com que se tapa.
Não há palavras que façam justiça ao ser muito especial que você é.
Quote
 

Add comment


Security code
Refresh