O X-9 vazou a notícia, a culpa é dele, mas a mídia ignora e bate no cartola


 

O X-9 vazou a notícia, a culpa é dele, mas

a mídia ignora e bate no cartola.

 

 

- Mas a culpa não é da diretoria!

- A gente sabe, mas é politicamente interessante malhar o poderoso, a gente “faz ser” politicamente correto.

- Esquece o X-9, disse outro.

 

A diretoria do Flamengo, como todos os clubes fazem, estava analisando o desempenho do seu técnico de futebol, como faz com todos os profissionais.

Desde o Campeonato Carioca os dirigentes, sócios e torcedores, estavam percebendo que, no início da temporada, havia um grande número de jogadores entregues ao departamento médico do clube. Alerta de problema na preparação física.

O time entrava em campo com escalação ou estratégia equivocada. No intervalo das partidas o técnico mudava e havia uma melhora na produção. Sinal que o técnico não fazia uma leitura ou análise adequada do time adversário antes do jogo. Isso ficou nítido na Libertadores, no Carioca e no Brasileiro.

O time é fraco, precisa urgentemente de reforços, opinião partilhada por todos.

Aconteceu um jogo, acho que contra o Palmeiras, que, para a surpresa de todos, Jayme entrou com quatro atacantes, repetindo (imitando) o que Muricy, com os atletas dele, havia feito dias antes em um dos jogos do São Paulo. Todos estranharam porque o time se apresentou sem jogadores de armação. Primeiro tempo péssimo. No intervalo, tirou um atacante e colocou Mugni para armar. O time jogou muito bem e derrotou o fraco time do Palmeiras, na ocasião.

No jogo seguinte, contra o Fluminense, cadê o Mugni, armador do time?

Estava atuando como atacante e o time inteiro jogando como se fosse subcarimbador interino, burocraticamente.

Foi a gota d’água.

A diretoria entendeu que deveria fazer mudanças profundas no departamento de futebol porque o setor não estava operando adequadamente.

Resolveu demitir o diretor de futebol, técnico e preparadores físicos.

Quando venceram as eleições o discurso foi de austeridade e muito profissionalismo.

A notícia que Jayme seria demitido vazou por conta de uma atuação exemplar de um canalha X-9, ou por uma inconfidência desastrada de alguém para alguém. Este alguém passou a informação para o Anselmo Góis, do O Globo, que publicou em sua coluna, por volta de 10h00, de segunda-feira, dia 12/05.

Por volta das 13h00, Wallim (Vice-Presidente de Futebol) ligou para Paulo Pelaipe (Diretor de Futebol) e marcou uma reunião para as 18h30, de segunda-feira. Deu ordem para que ele fizesse a comunicação ao Jayme (Técnico de Futebol).

A diretoria pretendia demitir ambos, bem como outos profissionais do departamento de futebol, em reunião no clube no final daquela tarde.

Por volta das 14h00, pouco mais, pouco menos, a ESPN, em programa ao vivo, colocou Jayme no ar e lhe “deu” a notícia da pretensão da diretoria de demiti-lo.

Jayme demonstrou muita “surpresa”, mas, imediatamente, acreditou nos jornalistas, mostrando revolta com a diretoria, sinal que já sabia da demissão ou já esperava, pois todos já sabiam, em razão da publicação do O Globo, por conta das atuações infelizes do time e porque ele já havia conversado com Paulo Pelaipe, inclusive disse a ele que não compareceria à reunião, segundo Wallim reportou, na parte da noite, à Rádio Tupi.

Pareceu-me que Jayme não foi surpreendido. Se não sabia, o lógico seria que não acreditasse nos jornalistas e dissesse que iria apurar o fato, mas preferiu atacar o empregador, sem cautela, dizendo-se ofendido. Ele, logo, de imediato, mostrou revolta.

O acontecido foi o bastante para a mídia manipular a opinião pública dizendo que foi uma desconsideração, uma indelicadeza com o técnico, ter tomado conhecimento dos fatos pela imprensa.

Balela!...

Jayme já sabia que iria ser demitido, pela conversa com Pelaipe (“Pelaipe, reunião? Eu estou de folga, indo para a praia com a patroa, o que eles querem?”) (é um mínimo de questionamento que, imagina-se, Jayme, ou qualquer pessoa faria).

A culpa não foi da diretoria.

A culpa foi do tal X-9 que vazou a informação.

Só que a mídia ignorou, porque não seria interessante, tal aspecto da informação.

A imprensa viu aí a brecha para “bater” na diretoria durante todo o dia, fama de profissionalismo que caia por terra, e lançar a idéia que teria sido injusta e inadequada a comunicação da demissão.

Jayme, o humilde, o vencedor da Copa do Brasil e do Campeonato Carioca, que foi humilhado pelos poderosos e arrogantes diretores do Flamengo, que diziam ser muito profissionais e cometeram uma barbaridade dessas.

Até Mano Menezes, o trânsfuga, com euforia, lançou sua enigmática e célebre frase: “Nada como um dia após o outro.” Realmente, nada!

Este, o agora fabuloso técnico Corinthiano, mais uma vez, falou e não clareou a obscuridade – a rapidez (sprint) de sua fuga do Flamengo, depois de uma goleada, ainda no Maracanã.

Hoje, mais uma vez, aparece o humilde e humilhado Jayme, segundo a imprensa, em programa esportivo, colocando-se à disposição para trabalhar no futebol, pedindo emprego, no melhor estilo Andrade.

Ontem, em tempo recorde, apareceu uma pesquisa dizendo que 65% dos torcedores não queriam que o técnico fosse demitido... Sei!

Hoje, repetindo o pessoal do mundo político brasileiro – “Ninguém é perfeito. Nós somos, mas eles também são corruptos!” - estão a procurar, com avidez, defeitos na administração do Flamengo, para lança-la na vala comum. Estão agora questionando o salário do novo técnico contratado.

A antiga administração do Flamengo, antes mal querida pela imprensa, essa mesma que hoje bate na atual administração, por conta da falta de ética na comunicação de demissão, está gargalhando.

Houve um jornalista que chegou a insinuar uma prática de racismo no fato:

“Interessante, no dia (histórico) em que dois técnicos negros trabalham no mesmo jogo, um deles é demitido.”

Até hoje, a imprensa não fala abertamente, publicamente, das qualidades e defeitos do Andrade - técnico vencedor do Campeonato Brasileiro - enaltecem a experiência no futebol, mas não comentam suas deficiências. Não é politicamente correto.

Dizem que, mais uma vez, o Flamengo demitiu injustamente um técnico campeão – Jayme, vencedor da Copa do Brasil e do Campeonato Carioca.

Andrade, atualmente, é técnico de que time?

Parece que a imprensa descobriu uma tatuagem na bunda da vestal.

 - Mas... e o X-9?

- Esquece o X-9 e malha o cartola.

 

E você, o que acha?

Dê sua opinião.

 

 

 

 

 

 

 

Add comment


Security code
Refresh